Sindpol/MG realiza nova AGE para discutir e deliberar acerca do PLC 65/2021

4 de novembro de 2021

A direção do Sindpol/MG realizou, na manhã desta quinta-feira (4), no Galpão em frente ao Sindpol/MG, a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para discutir e deliberar com a categoria, acerca do projeto de modernização da PCMG (PLC 65/2021).

Essa AGE deu continuidade à última – que foi suspensa por votação pelos presentes – realizada no dia 22 de setembro deste ano.

A AGE foi presidida pelo presidente do Sindpol/MG, Sr. José Maria de Paula “Cachimbinho” e compuseram a mesa o vice-presidente, Marcelo Armstrong; o diretor executivo e secretário-geral, Cláudio de Souza, e a gerente do jurídico, Dra. Tainah Lessa. Secretariou os trabalhos, a assessora sindical Dra. Carla Caricatti.

O presidente do Sindpol/MG, José Maria de Paula “Cachimbinho” fez a abertura dos trabalhos, realizando as duas chamadas e iniciou o debate falando da importância de se discutir sobre esse projeto de modernização da PCMG. Em seguida, passou a palavra para o diretor executivo e secretário-geral, Cláudio de Souza, que fez a leitura do edital de convocação.

Conforme esclarecido pelo diretor executivo e secretário-geral, Cláudio de Souza, no dia 28 de agosto de 2015, foi realizada uma AGE, na ALMG, que contou com aproximadamente 5 mil pessoas, para discutir sobre a unificação dos cargos da base, investigador de polícia e escrivão de polícia. Na ocasião, os policiais civis votaram contrários à fusão de cargos. “O assunto voltou à tona após o governador enviar os projetos de modernização da PCMG à ALMG. O PLC 65/2021, que trata sobre a unificação dos cargos da base da PCMG, transformando investigador de polícia I e escrivão de polícia I, em inspetores de polícia. Por isso, a necessidade de uma nova AGE para discutirmos e deliberarmos em cima dessa propositura”, afirmou Cláudio.

O vice-presidente do Sindpol/MG, Marcelo Armstrong, disse que esse debate é importante, mas há a necessidade de adequação salarial antes de discutir fusão de cargos. “Mudaram os cargos da base para nível superior, porém os mesmos não ganham equivalente a quem tem cargo de 3º grau na PCMG, como perito criminal e médico legista, sendo que todos os cargos são técnico-científicos. Então, antes de qualquer alteração em cargos, é necessário corrigir isso e adequar os salários dos investigadores e escrivães para nível superior”, pontuou.

Durante a AGE, foi aberta a palavra para os policiais civis fazerem as suas considerações e justificativas de seus posicionamentos, antes da votação. Houve ampla concordância em manter o que ficou decidido na AGE do dia 28 de agosto de 2015, uma vez que o Executivo Estadual e a Chefia de Polícia não discutiram com a base os projetos de modernização da PCMG e, os mesmos, atendem somente à gestão, não os trabalhadores (policiais e administrativos) e a sociedade.

O diretor executivo e secretário-geral, Cláudio de Souza, abriu a votação para a manutenção da decisão da AGE do dia 28/08/2015, que foi contrária à unificação dos referidos cargos. A maioria dos presentes votou favorável a manter decisão da AGE em questão, sendo contrários à unificação de cargos, e 3 votaram favoráveis à unificação de cargos.

Ao final, foi colocado em deliberação e votação, rechaçar totalmente o PLC 65/2021, quando ampla maioria votou favoráveis. Ninguém votou contra e nem abstiveram seu voto.

Após essa votação a AGE foi encerrada.

O presidente do Sindpol/MG comunicou a todos que a decisão da AGE será documentada e enviada à Chefia da Polícia Civil de Minas Gerais e à ALMG.

X