Balanço da greve e da Lei Orgânica: Exemplo de Mobilização da PCMG é seguido por outros segmentos sociais e sindicais, pressionando o Governo por reivindicações.

Balanço da greve e da Lei Orgânica: Exemplo de Mobilização da PCMG é seguido por outros segmentos sociais e sindicais, pressionando o Governo por reivindicações

Durante toda esta quinta-feira 10, foram intensas as negociações e mobilizações pelo atendimento à pauta da Polícia Civil capitaneada pelo SINDPOL/MG e demais Entidades de classe. Logo pela manhã a intervenção eficaz da Direção do SINDPOL/MG com os Deputados da Comissão FFO impediu que fosse aprovado “a toque de caixa” o projeto sem convocação em tempo hábil e sem incluir as emendas da categoria. Essa medida deu mais tempo para pressões e reflexões sobre a necessidade desse acolhimento, ficando o compromisso de grande número de Deputados de apreciar e contemplar no texto do projeto o que hora a categoria reivindica. Enquanto isso no acampamento da ALMG, dezenas de barracas do MST se aglomeram no pátio cobrando providências do Estado e do Governo Federal para atendimento à pauta agrária e no combate a violência no campo. Neste mesmo local, próximo às barracas do acampamento do SINDPOL/MG, na aproxima semana o movimento dos trabalhadores da Educação promete se incorporar ao acampamento, transferindo suas atividades que se encontram em frente ao Palácio das Mangabeiras, para a Praça da ALMG. É mais pressão na classe governamental para entendimento as reivindicações da classe trabalhadora. Os Professores prometem reiniciar movimento paredista em razão do não atendimento e descumprimento das promessas do Governo Anastásia. É a estratégia do SINDPOL/MG fazendo escola.

 

X