Sindpol/MG se reúne com Chefe da PCMG e cobra a convocação dos excedentes no concurso de Investigador de Polícia

20 de julho de 2022

O Sindpol/MG se reuniu, na tarde desta quarta-feira (20), com o Chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Dr. Joaquim Francisco, para cobrar acerca da nomeação dos 176 excedentes do concurso de Investigador de Polícia e a convocação dos aprovados para as próximas etapas, devido à falta de efetivo na Instituição.

Representando o Sindpol/MG participaram da reunião o presidente, Wemerson Oliveira; o vice-presidente, Antônio Marcos Pereira (Toninho Pipoco); a diretora de assuntos da mulher, Vânia Cristina e o diretor de assuntos do interior, Vander Tavares.

O presidente do Sindpol/MG, Wemerson Oliveira, a todo momento deixou claro ao Chefe de Polícia, Dr. Joaquim Francisco, da necessidade de mais policiais civis na Instituição. “Estamos na luta pela nomeação de todos os excedentes e a convocação dos aprovados para as próximas fases no concurso de investigador, pois é um absurdo somente 30 vagas, quando temos um déficit de quase 50% no cargo de Investigador de Polícia, uma vez que a LOPC 129/2013, prevê 11.301 investigadores”, afirmou Wemerson Oliveira.

O presidente enfatizou ao Chefe de Polícia que, após as decisões dos ministros do STF, Luís Roberto Barroso e Nunes Marques, sobre o Regime de Recuperação Fiscal (RRF), os policiais civis que têm tempo para se aposentarem estão solicitando a aposentadoria com receio das perdas de mais direitos, sendo assim o déficit de efetivo na Instituição ficará cada vez maior.

“O governador não está preocupado com o atendimento à população e nas soluções de crimes, pois se estivesse não teria disponibilizado pouquíssimas vagas, sabendo do déficit de efetivo”, disse Wemerson.

O Sindpol/MG segue na luta pela reposição dos quadros do cargo de investigador de polícia, os excedentes e aprovados podem contar com o apoio do sindicato.

Veja o ofício.

X