Sindpol/MG, Cobrapol e entidades traçam estratégias em defesa da aposentadoria policial

10 de dezembro de 2019

O presidente do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”, participou na terça-feira (03/12), da última reunião do ano da diretoria executiva da Cobrapol e do Conselho de Entidades, que contou com a presença de vários dirigentes sindicais de todo o Brasil, na sede da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), em Brasília.

A pauta principal do encontro foi a Reforma da Previdência devido ao avanço da medida nos Estados após a promulgação da Emenda Constitucional 103/2019, que trata das modificações no sistema da previdência social, estabelecendo regras de transição e alterações relacionadas à Seguridade Social. Além da Emenda Constitucional, os dirigentes também discutiram sobre a PEC 133/2019, conhecida como PEC paralela, que já foi votada pelo Senado Federal.

A Cobrapol juntamente com o Sindpol/MG e as demais entidades de classe que representam a segurança pública, fizeram várias articulações para que a aprovação de Emenda no Senado não causasse nenhum retrocesso na aposentadoria dos policiais. Entretanto, como isso não foi possível, as ações agora, estarão voltadas para a câmara dos deputados, onde a matéria começou a tramitar e será votada em dois turnos com quórum qualificado.

A reunião também teve como foco as reformas administrativa e sindical, que já estão sendo discutidas no Congresso Nacional, assim como as questões que são de interesse dos policiais civis, como a Lei Orgânica da Polícia Civil, o ciclo completo e a Carreira Única, assuntos esses que os representantes da Cobrapol já estão se mobilizando nos debates realizados no Parlamento e no Executivo.

De acordo com o presidente da Cobrapol André Luiz Gutierrez, a reunião foi importante para definir as ações e estratégias que visam fortalecer as atuações para reduzir os efeitos lesivos da reforma da previdência, que já destruiu os direitos dos policiais federais e vem assombrando alguns Estados.

José Maria de Paula “Cachimbinho”, presidente do Sindpol/MG, disse que essas reuniões tem sido de suma importância, pois a Polícia Civil precisa se unir para conquistar os seus direitos e que a batalha está apenas começando. “Temos que nos unir tanto em âmbito estadual quanto nacional, pois não queremos tratamento diferenciado e nenhum direito a menos”.

Um documento foi feito pela Cobrapol e será encaminhado a todos os governadores dos estados, apontando a importância da aposentadoria e a pensão dos policiais civis serem similares aos dos policiais militares, com paridade e integralidade, bem como a pensão com resguardo as suas famílias e uma transição justa aos trabalhadores que começaram a trabalhar mais cedo e estão próximos de obter o benefício previdenciário.

Segundo André Gutierrez, um calendário de atuação será apresentado pela Cobrapol. “A atuação das entidades e dos policiais de todo o Brasil é essencial para o sucesso do pleito da categoria”, disse Gutierrez.

Ao final da reunião Gutierrez ressaltou que esse havia sido mais um passo dado, onde puderam avaliar as ações, redefinir estratégias e aprimorar o trabalho de todos para continuarem defendendo os interesses da categoria, ele destacou ainda a importância da unidade com as demais entidades que representam a segurança pública para atingir seus objetivos.

Representando Minas Gerais estavam o presidente do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”, o assessor  Wemerson Oliveira e a assessora e diretora da Cobrapol Aline Risi.

Veja o documento que será encaminha ao Governador do Estado.

 

X