Policiais fazem protesto em BH para pressionar aprovação da Lei Orgânica.

Policiais fazem protesto em BH para pressionar aprovação da Lei Orgânica

 

Centenas de policiais civis saíram em passeata por diversas ruas da área central de Belo Horizonte, na tarde desta terça-feira (20), para pressionar os deputados a aprovarem a Lei Orgância da categoria. Uma reunião entre representantes do movimento com o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Dinis Pinheiro (PSDB), estava prevista para a parte da manhã. No entanto, devido a morte do 1º vice-presidente da Casa, José Henrique Lisboa Rosa, os trabalhos foram suspensos.
 
Conforme Adilson Bispo, direitor de mobilização do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindpol/MG), os 1.500 policiais que estavam acampados na ALMG entraram no saguão do local para ouvir o pronunciamento do Deputado Gustavo Correa. Logo após pos policiais seguiram em passeata até o Fórum Lafayette, no bairro Barro Preto, região Centro-Sul da capital, em apoio às vítimas da chacina de Felisburgo.
 
Em seguida, os manifestantes caminharam até a Praça 7, no Centro, onde atearam fogo em caixões. Os organizadores do movimento estimaram que 800 policiais participaram do ato.
 
O trânsito chegou a ficar lento durante o protesto, mas já foi liberado para o tráfego de veículos.
 
Bom-senso
 
Os policiais civis, em greve desde 10 de junho, reivindicam a aprovação do projeto de Lei Orgânica, que trata da competência da Polícia Civil no Estado e dispõe sobre o regime jurídico dos servidores, em tramitação na ALMG desde fevereiro deste ano. Atualmente, o texto aguarda parecer na Comissão de Administração Pública e deve passar por outras duas comissões antes de ser apreciado em plenário.
 
"Vamos dar um voto de confiança para os deputados. Esperamos que eles tenham bom-senso e aprovem, em breve, a PL que irá beneficiar os trabalhadores", disse Adilson Bispo. 
 
Um novo encontro entre os policiais e o presidente da ALMG foi agendado para a próxima terça-feira (27), às 9 horas. O Sindpol espera que duas mil pessoas participem do movimento no dia.
 
Fonte: Hoje em Dia e SINDPOL/MG
X