Guardas armados irão circular nas nove regionais de BH

Publicado no jornal O Tempo em 05/04/16, por Débora Costa

A Guarda Municipal já está armada em Belo Horizonte. Na última terça-feira (05/04), pelo menos 90 agentes da Corporação passaram a trabalhar armados pelas ruas da capital mineira. O plano estratégico da entidade prevê que os guardas aptos farão turno de 12 horas com o armamento. A princípio, sem pontos fixos específicos, eles irão circular em 80 viaturas distribuídas igualmente nas nove regionais da cidade. As ações da Guarda armada foram divulgadas na tarde de ontem, em coletiva de imprensa.

A intenção da corporação é manter o trabalho de prevenção e conciliação, e usar o armamento apenas em casos necessários, como quando há risco de morte de um agente. Segundo o comandante da Guarda Municipal de Belo Horizonte, Rodrigo Sérgio Prates, 150 guardas já estão aptos a utilizar os 350 revólveres calibre 38 e pistolas 380 da corporação.

“Com a arma de fogo, o agente tem a capacidade maior de prover as segurança das pessoas e a dele próprio. As ocorrências podem ser desde uma simples abordagem até as mais complexas, com a necessidade do uso progressivo da força. A arma de fogo só será usada em caso extremo”, afirmou o comandante.

Mesmo com porte de arma, os guardas municipais não tem autorização para levar o armamento para casa. Os integrantes da Guarda precisam pegar o revolver ou a pistola na corporação no início no turno e devolvê-lo ao fim do dia de trabalho. O mesmo dispositivo será usado por outro agente.

Durante a coletiva de imprensa nesta tarde, o comandante reafirmou que todos os guardas que já atuam na cidade armados passaram por treinamento de 30 dias, que incluiu testes psicológicos, aulas teóricas com conteúdo sobre o uso progressivo da força, além de primeiros socorros e manejo e emprego da arma de fogo com técnicas de tiro. Cada agente precisou atirar 600 vezes antes de ser aprovado.

Ainda, uma turma com 70 guardas passará por exames finais de tiro no próximo sábado e, a partir daí, também estará apta a ir para as ruas. A previsão é que até 2017, todos os 2.117 integrantes da corporação estejam prontos para utilizar os equipamentos.

Armamento é de 2006

Os revólveres e pistolas utilizados pelos agentes são os mesmos adquiridos pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), em 2006, quando o atual governador de Minas, Fernando Pimentel (PT) era o prefeito da capital. Prates explicou que os equipamentos ficaram guardados, mas que estão em perfeito estado de utilização.

Especialista ouvido pela reportagem também afirmaram que não existe impedimentos para se usar uma arma guardada há 10 anos. “Isso não é um problema, se ela (a arma) estiver bem acondicionada e lubrificada. O que oxida a arma é a umidade e a gordura da mão. Se ela não tiver contato com isso, ela estará pronta para o uso”, explicou o instrutor de tiro, Leandro Silveira Boaventura.

Fonte: O Tempo

 

 

X