Greve da Polícia Civil em Divinópolis, MG, atrasa a realização de serviços.

Greve da Polícia Civil em Divinópolis, MG, atrasa a realização de serviços.

Um grupo de policiais civis está acampado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta quarta-feira (7). A categoria está em greve há quase dois meses. O acampamento começou à meia noite. Dez barracas pretas, com adesivos do sindicato foram montadas bem na entrada do prédio, próximo às bandeiras. Cerca de 20 pessoas dormiram no local.

O acampamento é um sinal de protesto para que os deputados e o governo do estado aprovem a nova lei orgânica da polícia. De acordo com Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado (Sindpol/MG) a categoria quer melhores condições de trabalho, reestruturação de carreiras, aumento do efetivo com a realização de mais concursos públicos, modernização e valorização da instituição. "Em Divinópolis o movimento é bem forte, no interior de uma forma geral", informou a assessora de imprensa, Michelle Moura.

Em Divinópolis apenas parte do serviço está sendo feito pelos profissionais. E os reflexos aparecem, por exemplo, nas vistorias. Normalmente são feitos cerca de 130 vistorias de veículos, com a greve esse número não chega a 60.  O gerente de marketing, Ranulfo Araújo precisou do serviço e reclamou." Eu estou aqui desde às 9h, e ainda vou ter que enfrentar umas duas horas na fila e nem sei se vou conseguir ser atendido", comentou.

Acampamento Polícia Civil  (Foto: Michelle Moura)
 
Acampamento Polícia Civil (Foto: Michelle Moura)

Este não é o único serviço que ficou comprometido pela greve. Apenas 30% de tudo que é feito pelos profissionais está sendo executado. Só na cidade são cerca de 20 policiais. Segundo a investigadora Patrícia Souto, essa semana a categoria vai pressionar ainda mais o governo.  "Queremos a aprovação da lei orgânica da Polícia Civil, nós buscamos isso há dois anos. Esperamos que vá para a Assembleia e seja aprovado para reestruturar a Polícia Civil".

Ainda segundo Patrícia os manifestantes afirmam que vão permanecer no local até o dia em que for votado o projeto de lei complementar. " A Polícia Civil vai continuar acampada lá, vamos fazer revezamento até que os deputados possam atentar para a votação", analisou.

Fonte: G1

X