Greve atrasa serviços na Polícia Civil de Juiz de Fora.

Greve atrasa serviços na Polícia Civil de Juiz de Fora.

A pilha de documentos na sala do despachante é um reflexo da redução das atividades da Polícia Civil. Serviços relacionados à documentação e licenciamento de veículos estão atrasados devido à falta de profissionais. De acordo com o representante do sindicato, a demora para dar baixa, tirar registro e transferência passa dos 15 dias.

Outros serviços da polícia, como marcação de exames de autoescola, investigações e perícias estão comprometidos por conta da greve, que completou nesta segunda-feira (5) 56 dias.

Em 2011, a polícia civil parou as atividades por 77 dias. O governo de minas gerais prometeu no ano seguinte, aprovar uma lei orgânica que prevê melhores planos de carreira e aumento no efetivo. Como essa lei ainda não foi aprovada, os servidores entraram em greve novamente.

A organização internacional do trabalho estipula um policial para cada mil habitantes. Hoje, Juiz de Fora conta com 120 profissionais. Pela conta, deveria ter mais de 500.

Amanhã (6), representantes da Polícia Civil de várias cidades da Zona da Mata se reúnem na Assembleia Legislativa em Belo Horizonte para cobrar a aprovação da lei orgânica.

Fonte: Mega Minas
 

X