Entidades de classe da PCMG apresentam pauta reivindicatória da categoria ao secretário da Sejusp

4 de fevereiro de 2021

As entidades de classe que representam a Polícia Civil de Minas Gerais, Sindpol/MG, Sindep/MG, Aespol/MG, Aspcemg, Cobrapol (Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis) e Feipol Sudeste (Federação Interestadual dos Policiais Civis), se reuniram hoje (04/02), com o novo secretário da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), Rogério Greco, e apresentaram a pauta conjunta reivindicatória para melhorias nas condições de trabalho dos policiais civis.

 Os representantes sindicais reivindicam:

  • A reposição das perdas inflacionárias;
  • Pagamento dos salários no 5º dia útil;
  • Pagamento do 13º salário;
  • Pagamento das férias-prêmio com prioridade para aquelas que estão para prescrever e cronograma para o pagamento das demais;
  • Concurso público para os cargos vagos na instituição, recompondo os quadros de efetivo, pois contabilizam mais de 50% do efetivo em vacâncias;
  • Sucateamento do Hospital da Polícia Civil (ambulatório), policiais civis mineiros carecem de uma unidade de saúde estruturada para eles e seus dependentes, tanto na capital quanto no interior;
  • Intervenções para melhoria nas estruturas das unidades policiais civis, com especial atenção às do interior;
  • Capacitação intelectual e operacional dos policiais civis;
  • Falta de rádio de comunicação nas Delegacias de Polícia e nas viaturas caracterizadas e descaracterizadas, infelizmente, os policiais civis precisam usar seus aparelhos de telefonia móvel particulares, desde uma consulta de um indivíduo suspeito nas ruas e até mesmo pedir apoio ou socorro em uma ação que estão desenvolvendo ao longo de suas atividades;
  • Equipamentos de proteção individual e de trabalho, de acordo com recomendações técnicas e dentro do prazo de validade;
  • Fim do tratamento discriminatório dado pelo decreto 47326/2017, o decreto 47.326/2017 dispõe sobre a ajuda de custo para alimentação dos servidores públicos do Estado de Minas. Ocorre que em seu Art. 3º, II, ocorre discriminação ao policial civil, que é a única carreira do serviço público civil a não contar com esse benefício, medida extremamente discriminatória;
  • Auxílio-saúde;
  • Participação das entidades representativas de classe no trabalho de modernização em desenvolvimento pelo CEMA (Conselho Estadual de Modernização Administrativa), com amplo debate com a categoria, notadamente, os cargos da base da PCMG, acerca da modernização da Instituição;
  • Vacinação para todos os servidores da Polícia Civil, que estão na linha de frente nesse momento de combate a pandemia da Covid-19;
  • Imediato Cumprimento da Cadeia de Custódia;
  • Gratificação por Escolaridade;
  • Promoções e progressões.

O secretário ouviu atentamente o que cada dirigente sindical pontuou, disse que vai estudar essa pauta reivindicatória e se comprometeu em conversar com o governador Romeu Zema sobre a mesma. Rogério Greco agendará uma nova reunião para discutir essa temática.

“Essas reivindicações são legítimas e vamos batalhar para que as mesmas sejam atendidas, pois a implementação dessas medidas vão garantir melhores condições de trabalho e o merecido reconhecimento aos policiais civis”, afirmou José Maria de Paula “Cachimbinho”, presidente do Sindpol/MG.

Veja o ofício na íntegra

X