Em greve a PCMG trabalha em nome da segurança da sociedade:Polícia Civil apresenta alvo do programa “Procura-se” preso no Rio de Janeiro.

Em greve a PCMG trabalha em nome da segurança da sociedade:Polícia Civil apresenta alvo do programa “Procura-se” preso no Rio de Janeiro.

Wagner Neves, 33 anos, conhecido como “Waguim”, foi apresentado nesta quarta-feira (4) no 4º Departamento de Polícia Civil de Juiz de Fora. Ele era um dos alvos do programa “Procura-se” da Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) e apontado como o terceiro suspeito da morte de dois capitães do Exército, ocorrido em 13 de maio de 2010.  Foragido desde a época do crime, Wagner foi localizado e preso pela equipe de policiais civis da 7ª Delegacia de Juiz de Fora, na residência dele localizada à Rua Cambuci, Bairro Jardim Mariléia, na cidade fluminense de Rio das Ostras, na última sexta-feira (30).

 

O duplo homicídio dos capitães do Exército Eleonardo Sabadine Santos, de 30 anos, e Daniel Azevedo Borges de Lima, 32, na porta de uma boate, no Bairro Aeroporto, em Juiz de Fora, com 19 disparos de arma de fogo chocou a sociedade local e mobilizou a Polícia Civil, no dia do crime os três suspeitos já estavam identificados, sendo que Adilson dos Santos, 38, foi preso no mesmo dia dos fatos e, David Azevedo Marques, 21, foi localizado na comunidade da Rocinha no Rio de Janeiro, no dia 22 de maio (menos de 10 dias após o início das investigações). Ambos já se encontram condenados pela Justiça há mais de 20 anos de prisão cada.

Os militares realizavam um curso em Juiz de Fora e eram lotados no Rio de Janeiro, o crime foi cometido por motivos fúteis, uma vez que foi resultado de  uma discussão entre os envolvidos dentro da boate por causa de uma garota que estava com um dos suspeitos.

 

 

 

 

 

 

Durante a apresentação, o delegado chefe do 4º Departamento de Polícia Civil de Juiz de Fora, Rogério de Melo Franco Assis Araújo, informou que a prisão de Wagner era uma das prioridades da Polícia Civil na cidade e parabenizou a equipe empenhada na ação, que foi comandada pelo Delegado Armando Avólio Neto e coordenada pelo Delegado Regional Paulo Virtuoso. O preso informou que já havia mudado de bairro três vezes, pois tinha conhecimento de que a Polícia Civil mineira o procurava na cidade, onde ele residia com identidades falsas e trabalhava como promotor de eventos.

 

A Polícia Civil de Juiz de Fora não encerrou a procura de Wagner desde sua confirmação como suspeito do crime, incursões policiais foram realizadas também nas cidades fluminenses de Petrópolis, Teresópolis e ainda na capital carioca. Wagner foi localizado na cidade de Rio das Ostras através de investigações iniciadas com a localização de sua namorada, uma juizforana de 21 anos, no dia da prisão ela buscava documentos falsos para o suspeito que iria fugir para o Estado do Espírito Santo naquela semana.

Participaram da Investigação e prisão o Sub Inspetor Carlos Henrique Ferreira e os Investigadores Alexandre Soares, Ribamar Campos Barra, Paulo Fernando Baganha Torres e Luiz Carlos dos Santos.

X