Movimento da Segurança Pública pela Recomposição Salarial

9 de novembro de 2021

Estamos trabalhando em unidades policiais caindo aos pedaços, insalubres, faltando computadores, impressoras, viaturas e até água potável, com um déficit de quase 50% dos policiais;

Estamos sem recomposição salarial desde 2015, com perdas inflacionárias na casa dos 46%, devido ao veto do acordo firmado pelo próprio governador;

Com as reformas federal e estadual, estamos pagando 16% de previdência social, 3,2% de plano de saúde (Ipsemg) e mais 27% de imposto de renda. Quase 50% dos nossos salários retornam para o do Estado;

A Polícia Civil de Minas Gerais está em 24º no ranking salarial do Brasil, ou seja, o 4º pior salário entre as polícias civis;

No dia 05/11/21, em audiência pública na comissão de segurança pública da ALMG, o secretário de governo, Mateus Simões, declarou que se fosse aprovado o Regime de Recuperação Fiscal pela Assembleia Legislativa, o governo enviaria Projeto de Revisão Geral Anual, que hoje não chega a 8%.

Não podemos deixar de falar do Judiciário, Ministério Público e Assembleia Legislativa, que já tiveram suas recomposições salariais em suas respectivas datas bases, sem precisar digladiar com o governo Zema. Por que será?

Infelizmente, nós, policiais civis, e os demais integrantes das forças de segurança pública do estado de Minas não temos outra alternativa a não ser radicalizar em razão do descaso, falta de reconhecimento e respeito do governador de plantão.

O Sindpol/MG e as demais entidades de classe da segurança pública estão intensificando as ações na luta pelos nossos direitos. Mantenham-se mobilizados para convocação geral a qualquer momento.

Faça parte dessa luta você também e vamos juntos lutar pelos nossos direitos!

#recomposicaoedireito #zemarecebaasegurancapublica #zemacumprasuapalavra

#recomposicaosalarialja #zemanaotempalavra #segurancapublica

#pagueoprometido #semlutanaohaconquista #SindpolMGnalutapelacategoria

X