Cidades ignoram segurança.

Cidades ignoram segurança.

Fonte: O Tempo

Minas Gerais é o Estado da região Sudeste com o menor número de municípios que contam com uma secretaria exclusiva de Segurança Pública. Das 853 cidades, apenas 15, ou seja, 1,7%, têm uma pasta própria para tratar do tema, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, também em relação à região,

Minas tem o menor índice de cidades com Guarda Municipal. Somente 59 cidades contam com essa vigilância.


“Como a segurança pública é uma obrigação da União e dos Estados, as cidades não se preocupam com o tema. Mas é uma tendência que tem mudado”, ressalta a técnica do IBGE, Vania Pacheco.

 

 

 

Em Minas, 703 municípios não possuem nem mesmo uma estrutura que trate da área de segurança pública. Das 17 cidades do Sudeste com mais de 500 mil habitantes, apenas nove possuem uma secretaria exclusiva para o tema.

Questionada sobre o assunto, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) disse que “a Constituição determina que os municípios têm a prerrogativa de escolher como aplicarão seus recursos, investirão em segurança pública, ou, por exemplo, se criarão ou não guardas municipais”. Além disso, a Seds informou que investe em vários projetos em parceria com as prefeituras.

O comerciante Manoel Barroso, 36, avalia que a cidade de Belo Oriente, no Vale do Aço, poderia ser mais segura se tivesse uma secretaria específica. “Os investimentos e as melhorias acabam ficando em segundo plano por não ter um órgão sobre a área”, disse.

Membro do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a professora Ludmila Ribeiro concorda com o comerciante. “Com uma secretaria específica, a prevenção e o combate ao crime ficam mais focados, contribuindo para redução dos crimes” avalia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

X