Sindpol/MG repudia demissão de policial civil do Pernambuco

6 de janeiro de 2021

Diante da injustiça cometida pelo governo do Estado de Pernambuco, que demitiu o policial civil e ex-presidente do Sinpol-PE, Áureo Cisneiro, o Sindpol/MG vem a público repudiar tal atitude. A demissão foi publicada no Diário Oficial do Estado, na última terça-feira (05/01).

De acordo com presidente do Sindpol/MG, José Maria de Paula “Cachimbinho”, a demissão não passa de um perseguição a representantes sindicais, que vivem lutando em prol dos direitos da categoria. “Nós aqui de Minas Gerais damos nosso total apoio a Áureo Cisneiro, pois sabemos que sem a luta sindical o governo irá massacrar os servidores”, disse José Maria.

O Sindpol/MG considera a conduta do governador de Pernambuco uma verdadeira agressão aos servidores e aos representantes sindicais, que batalham pelos direitos da categoria.

Entenda o caso

De acordo com o ato publicado no Diário Oficial do Estado de Pernambuco, nesta terça-feira (05/01), o Estado considerou um processo Administrativo Disciplinar aberto contra Áureo em 2017 para a demissão, que está respaldado no Estatuto dos Policiais civis do Estado de Pernambuco (Lei nº 6.425/1972), que no inciso XI do seu artigo 49º considera que a pena de demissão pode ser aplicada no caso de “contumácia na prática de transgressões disciplinares, qualquer que seja a natureza”.

Por meio de nota, o Policial Civil classificou a demissão como “arbitrária” e disse ainda que ela só ocorreu devido as suas atividades sindicais. “A luta por direitos trabalhistas nunca foi fácil. Mas nunca imaginei ser demitido por exercer atividade sindical”, disse Cisneiro.

Cisneiro liderou greves em 2016 e conquistou o maior salário da história para a Polícia Civil de Pernambuco.

 

 

X