Sindpol/MG aponta situação alarmante do Ipsemg e pede providência

O Sindpol/MG, sensível à situação degradante do Ipsemg, encaminhou ofício ao Secretário de Planejamento e Gestão do Estado de Minas Gerais, Otto Alexandre Levy Reis, apontando as deficiências e os problemas enfrentados pelos servidores públicos, notadamente, pelos policiais civis e seus familiares na utilização dos serviços médico-hospitalares, já que o hospital não consegue atender toda a demanda do Estado.

Além de solicitar esclarecimentos sobre os recursos e investimentos destinados ao órgão, o ofício informa que não há a contraprestação dos serviços de saúde ao policial civil e seus familiares, já que contribuem mensalmente pelos serviços do instituto da previdência, pois aqueles não conseguem usufruir e quando conseguem estes serviços ficam bem aquém do ideal.

De acordo com o presidente do Sindpol/MG, José Maria de Paula Cachimbinho, “É inaceitável nossos filiados e os demais policiais civis ficarem aguardando horas para serem atendidos, e no interior abandonados sem um atendimento a contento. O Sindpol/MG está encaminhando este ofício não somente à Seplag, para melhoria dos serviços do Ipsemg, mas à Chefia da PCMG, para ampliação e melhoria, inclusive, do ambulatório, que passou da hora de ser verdadeiramente um hospital, já que há a previsão na própria lei orgânica”, afirmou.

O ofício encaminhado também sugere soluções imediatas paliativas ao Ipsemg, no que se refere aos policiais civis do interior, como convênios com hospitais locais, e pede estudos e implementação de soluções efetivas.

José Maria de Paula Cachimbinho ainda ressaltou que o Sindpol/MG está buscando melhorias em vários órgãos que atendem os policiais civis, além promover novas ações em 2020. “Estas providências são somente o início de muita luta no ano que começou. Vamos atuar em várias frentes e já estamos em contato direto com parlamentares mineiros para a obtenção das férias-prêmio e a manutenção de nossos direitos da aposentadoria. Buscaremos também apoio para melhorarmos as unidades policiais na capital e no interior”. O presidente do Sindpol/MG ainda completou, “teremos que enfrentar a Reforma da Previdência já anunciada pelo governador Zema, além da Reforma Administrativa. É o momento de nos unirmos. É o momento de todas as entidades sindicais da Polícia Civil, junto a todos os policiais civis trabalharmos e lutarmos juntos para efetivação de nossos direitos. Contamos com todos vocês, filiados e policiais civis”, finalizou.

Confira o teor dos ofícios encaminhados a SEPLAG, ao Chefe da PCMG e à SIPJ

X