Segurança em alerta: A trégua à morosidade do governo acaba e SINDPOL/MG declara estado de alerta e indicativo de greve 2013, caso o governo não cumpra a palavra de aprovar a Lei Orgânica.

Segurança em alerta: A trégua à morosidade do governo acaba e SINDPOL/MG declara estado de alerta e indicativo de greve 2013, caso o governo não cumpra a palavra de aprovar a Lei Orgânica

Na manhã desta segunda-feira (25), policiais civis e dirigentes sindicais da Polícia Civil interditaram temporariamente a Linha Verde em frente à Cidade Administrativa e Palácio do governo reivindicando a aprovação do projeto de Lei Orgânica da PCMG em cumprimento a acordo de greve 2011, quando a categoria atendeu ao apelo do governo pela suspensão da greve sob a compensação de atendimento as reivindicações da classe, em um projeto de lei orgânica elaborado com a participação das entidades de classe. O projeto foi elaborado, mas o governo se esquiva de aprova-lo, descumprindo o acordo. A situação se agrava, ao passo que é nítido e sensível o estado de sucateamento e escassez da instituição Polícia Civil. Enquanto concursos e investimentos são aprovados e autorizados para outras instituições como, por exemplo, Ministério Público, Polícia Militar e Suap, dentre outros.

A direção do SINDPOL/MG informa que os policiais civis e servidores das carreiras admnistrativas estão indignados com a demora e “enrolação” referente ao projeto, motivo pelo qual não pode esperar mais; não haverá mais trégua ou tolerância e as mobilizações por uma greve geral e movimentos estratégico de rua vão se espalhar por todo o estado.

Apoio

Outros sindicatos filiados a UGT já se comprometeram EM se agregarem a luta do SINDPOL/MG por mais segurança para a população e um instrumento de lei mais moderno, que valoriza os operadores da Polícia Civil e dê condições para a polícia prestar melhores serviços a sociedade. O presidente da UGT, Deputado Federal Ademir Camilo, disse que o problema não é novo, porém, a solução não pode mais esperar e, a UGT esta do lado do SINDPOL/MG e policiais civis nesta luta justa, cobrando do governo o seu dever de valorizar e cuidar da ferramenta de promoção de segurança pública que é a Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, a sociedade clama por segurança e o governador não pode se furtar de atendê-la, o estado de sucateamento pelo qual a Polícia Civil se encontra hoje é de responsabilidade única e exclusiva do governador que não priorizou investimentos necessários no tempo e na forma corretos.

 

Veja as notas veiculadas na imprensa:

Jornal Hoje Em Dia

Jornal O Tempo

X