Rota da droga não é compatível com autonomia do R 66.

Rota da droga não é compatível com autonomia do R 66

A cocaína flagrada no helicóptero do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD) foi carregada no Paraguai, segundo a Polícia Federal (PF) do Espírito Santo, e seguiu para São Paulo. A informação revelada pelo GPS da aeronave, no entanto, não se encaixa dentro da autonomia do Robinson R 66.

O relatório do GPS revela que o helicóptero buscou a droga no Paraguai em 23 de novembro. Em seguida, foi para São Paulo, onde a cocaína foi descarregada em um local ainda não identificado. No dia seguinte, o veículo buscou a droga, foi abastecido em Divinópolis e seguiu até Afonso Cláudio, onde foi apreendido.

Por meio de nota, a PF disse que o grupo passou pelo Paraná, mas o momento se deu essa parada não foi divulgado. Os trechos não fecham a conta do combustível, segundo uma fonte de uma empresa representante do R 66.

O peso máximo transportado pelo helicóptero é de 1.225 kg. Considerando a carga de 445 kg, o peso dos dois tripulantes (cerca de 140 kg) e o do helicóptero (581 kg), o veículo poderia iniciar o percurso transportando, no máximo, 59 kg em combustível – o equivalente a 158 km.

Acontece que a distância entre São Paulo e o país vizinho é de 850 km. Já entre Paraguai e o Paraná – caso a aeronave tenha parado no Estado do Sul antes de seguir para São Paulo –, a distância é de 340 km. Por isso, com a aeronave transportando 445 kg de pasta base de cocaína, o piloto teria que ter parado em outro local para reabastecer.

Em seu depoimento, o piloto Rogério Almeida disse que saiu da cidade paulista de Avaré, passou pelo Campo de Marte, também em São Paulo, por Divinópolis, em Minas Gerais, e terminou a viagem no município capixaba de Afonso Cláudio. Mas, para a Polícia Federal, ele mentiu.

Ligações. A nota divulgada ontem afirma que, diante da relação das ligações telefônicas entre os envolvidos, está descartada a participação da família Perrella no tráfico internacional. O inquérito deve ser concluído no dia 19.


Helicóptero

Destino. O governo do Espírito Santo disse ontem ter interesse em se apropriar do helicóptero dos Perrella para pequenos trabalhos. A defesa da família pede na Justiça a aeronave de volta.

No Senado, grupo pede CPI para Zezé  

Um grupo de manifestantes protestou ontem na porta do Senado e pediu a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o senador Zezé Perrella (PDT-MG). Eles distribuíram saquinhos com farinha de trigo em referência ao helicóptero da empresa do filho dele, deputado estadual Gustavo Perrella (SDD), apreendido com 445 kg de cocaína no Espírito Santo.

Ontem, Zezé voltou a criticar a imprensa e disse que sua família foi vítima de “matérias distorcidas”.

Fonte: O Tempo

X