PM de São Paulo usará ‘Tropa do Braço’ nas manifestações

PM de São Paulo usará ‘Tropa do Braço’ nas manifestações


A Polícia Militar de São Paulo prometeu utilizar neste sábado, pela primeira vez em manifestações, a “Tropa do Braço”. O protesto contra a Copa do Mundo no centro da capital está previsto para ocorrer no fim da tarde. A ideia do comando da polícia é identificar possíveis vândalos infiltrados no ato e retirá-los como forma de manter a ordem na manifestação. São homens que foram treinados há três meses e que têm habilidades de artes marciais.
 


Segundo o capitão Emerson Massera, porta-voz da PM, esta é uma estratégia menos agressiva. “A ideia é que (a tropa) já seja utilizada até para agir de maneira bastante pontual e utilizar recursos, na medida do possível, menos agressivos”, afirmou o oficial.

De acordo com Massera, a força será usada de maneira proporcional. “Conforme aumenta o potencial de agressão, aumentaremos o potencial de reação”, disse. O capitão ainda garantiu que todos os policiais serão obrigados a utilizar identificação. Aqueles que forem flagrados sem a identificação serão punidos. “O policial é obrigado a utilizar a identificação, nós vamos exigir. Iremos fiscalizar e, se alguém, eventualmente, flagrar algum policial sem identificação, que nos traga ao conhecimento que isso será prontamente apurado”, garantiu Massera.

Armas. Nesta sexta também foi demonstrado o potencial de destruição do artefato incendiário apreendido com Fabrício Proteus Chaves. Ele foi o manifestante que reagiu a uma abordagem da PM e acabou sendo baleado por policiais na região central de São Paulo, após um protesto no fim do mês passado.

A demonstração foi feira pelo Gate (esquadrão antibombas da PM) na academia de policia do Barro Branco, na zona Norte da cidade. O material, que foi ativado pelos policiais, produz uma chama intensa e é feito com substâncias controladas.

“A queima que foi feita aqui foi uma queima bem menor do que a quantidade encontrada que foi uma lata inteira de cerveja”, disse o comandante do Gate, Ricardo Folkis. Segundo ele, esse material, se aceso embaixo de um carro, por exemplo, pode causar uma tragédia.

Fabrício deve ser indiciado dentro do Estatuto do Desarmamento. O inquérito ainda não foi concluído pela polícia civil que ainda não divulgou quando pretende denunciar o manifestante.

Foram demonstrados também o rojão que matou um cinegrafista da TV Bandeirantes no Rio de Janeiro, além de explosivos utilizados por criminosos para explodir caixas eletrônicos.

Ferido

Nova internação. Fabrício Proteus Chaves, 22, baleado por PMs em um protesto contra a Copa em São Paulo, voltou a ser internado. Ele tem uma infecção provocada pelos ferimentos.

Fonte:  O Tempo

X