PCMG desmantela organização suspeita de aplicar golpe do falso emprego

10 de setembro de 2021

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) desmantelou uma organização criminosa suspeita de aplicar o golpe do falso emprego, em um escritório no Centro de Belo Horizonte. Durante a ação policial, 19 mulheres e dois homens foram autuados em flagrante por estelionato e encaminhados para o sistema prisional. Das 21 pessoas presas, duas são consideradas líderes do grupo.

As investigações começaram na última semana após uma vítima denunciar o caso, relatando que havia sido contatada por uma empresa que se apresentava como agência de empregos. A vítima se dirigiu à empresa e, logo após a entrevista, foi garantida a ela uma vaga, depois disso, a funcionária disse haver a necessidade de a vítima realizar o curso de capacitação para iniciar o trabalho. E ela deveria pagar o valor de R$ 450.

Diante da denúncia, a equipe da unidade policial foi até o local e se deparou com os 21 funcionários e seis vítimas. Os funcionários foram conduzidos para a delegacia e autuados em flagrante. As vítimas prestaram declarações e manifestaram pela representação criminal.

Segundo apurado, as vagas eram captadas de sites especializados, mas o escritório não tinha nenhum relacionamento com a empresa ofertante. Depois que as vítimas efetuavam o pagamento do curso, não eram encaminhadas para as vagas. A ação consistia na venda de curso com a promessa de início imediato em uma vaga de emprego.

No crime de estelionato, de acordo com a legislação atual, a vítima precisa fazer a representação criminal para o início da investigação. Não basta apenas a notícia do crime, o registro de ocorrência. A vítima tem que formalizar essa representação.

O Sindpol/MG parabeniza a ação realizada pela equipe da 4ª Delegacia de Polícia Civil Centro, pertencente ao 1º Departamento de Polícia Civil em Belo Horizonte, além do apoio da Guarda Municipal de Belo Horizonte que ajudaram na condução dos envolvidos à delegacia.

Fonte: ASCOM-PCMG, com modificações

X