Operação Fronteiras e Divisas Integradas I prende quase 3 mil pessoas

7 de outubro de 2021

A Operação Fronteiras e Divisas Integradas I, que reuniu as forças de segurança dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio de Janeiro, além de agentes federais e estaduais de diferentes instituições, chegou ao fim e resultou na detenção de 2.975 pessoas e apreensão de mais de 55,8 toneladas de drogas nos cinco estados.

Os trabalhos foram deflagrados simultaneamente nas unidades federativas envolvidas, estabelecendo um marco de integração e parceria entre as polícias e diversos órgãos federais e estaduais. As atividades foram realizadas com o objetivo de reforçar o combate ao crime e aumentar a percepção de segurança da população.

Somente no território mineiro, entre os dias 20 de setembro e 3 de outubro, foram fiscalizados 3.318 veículos, resultando na apreensão de 14 armas de fogo, 192 munições, 72 veículos e mais de 170 quilos de drogas. Além disso, três veículos roubados foram recuperados, 43 prisões foram realizadas e um adolescente apreendido.

Ao todo, como resultado das atividades nos cinco estados, foram presos 2.786 adultos e apreendidos 189 adolescentes, bem como foram recolhidos 55.891 quilos de drogas, 424 armas de fogo ilegais, 687 celulares e cerca de 2,8 milhões de maços de cigarros. Ao longo das atividades também foram recuperados 487 veículos produtos de roubo ou furto e apreendidos outros 1.472 que estavam com irregularidades.

As ações preventivas, ostensivas e para cumprimento de mandados judiciais ocorreram ao longo das divisas das unidades federativas e das fronteiras com a Bolívia e o Paraguai. Ainda foram realizadas ações em portos, aeroportos internacionais em praticamente todo o território dos estados envolvidos.

A operação contou com o empenho de policiais civis mineiros dos Departamentos de Uberlândia, Uberaba, Pouso Alegre, Poços de Caldas, Juiz de Fora e Barbacena. O Sindpol/MG se orgulha em parabenizá-los pela participação dessa operação integrada no combate ao crime organizado.

Fonte: Ascom SSP-SP e Poliane Brandão/Ascom Sejusp, com modificações

X