Mulheres dizem não à Reforma da Previdência no Centro de BH

5 de outubro de 2017

Na oportunidade foi feito o lançamento do Fórum Estadual das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais de Minas Gerais

Com a participação de diversas entidades sindicais, a Federação Interestadual dos Servidores Municipais e Estaduais (Fesempre) e a Central das Entidades de Servidores Públicos (CESP), por meio das diretoras Margareth Dionísia e Adriana Soares, participaram do ato, na última terça-feira (3/10), na Praça Sete de Setembro, no centro de Belo Horizonte, contra a aprovação da Reforma da Previdência.

Diversas bandeiras e até uma carro fizeram parte do protesto. Entidade montaram tendas e até um “varal” com as fotos dos deputados federais mineiros que são a favor da Reforma. O ato também contou com o apoio da bordadeiras que, no local, bordaram faixas de apoio ao movimento. O ato foi organizado pela Frente Mineira Popular em Defesa da Previdência Social, grupo que é composto pela Fesempre e outras 80 entidades.

“Precisamos dar um basta a esses projetos que prejudicam os trabalhadores, em especial as mulheres. Mulheres que trabalham muito e ganham salários bem inferiores aos homens. Mulheres que possuem jornadas duplas e até tripla, e não merecem ter que trabalhar ainda mais para poderem se aposentar. Elas precisam ser valorizadas”, disse a diretora de assuntos das mulheres do Sindpol/MG, Fesempre e da Cesp, Margareth Dionísia.

Em sua fala, a coordenadora da Frente Mineira Popular em Defesa da Previdência Social, Ilva Franca, agradeceu a presença de todos e destacou a importância do movimento. “Gostaria de agradecer a todos e todas que atenderam ao chamado da Frente e dizer que faremos mais mobilizações como essa para intensificar nosso movimento. Não podemos deixar que a Reforma da Previdência passe, ou todos serão prejudicados”, pontuou.

Durante a manifestação, também foi lançado o Fórum Estadual das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais de Minas Gerais. O novo fórum irá debater questões ligadas às mulheres sindicalistas e trabalhadoras.

 Fonte: Fesempre

 

X