Mais uma vez governo utiliza as polícias e a segurança pública para contrair empréstimo, porém a aplicação e investimento na PCMG é incerto.

Mais uma vez governo utiliza as polícias e a segurança pública para contrair empréstimo, porém a aplicação e investimento na PCMG é incerto

Assim como em abril, na busca de R$284 milhões no BID, o Governo do Estado justificou investimento nas forças de segurança pública para obter a autorização de empréstimo de R$3,4 bilhões junto à Assembleia Legislativa de Minas. Naquela ocasião, em abril, a informação prestada ao Senado e Governo Federal, era a de aplicar os recursos na logística e infraestrutura de equipamentos para realização de perícias, aparelhamento de IML e demais ações de recuperação da Polícia Judiciária. De “lá para cá”, o SINDPOL/MG vem cobrando, institucionalmente, em diversas comarcas e regiões do estado, a aplicação destes recursos nas áreas específicas mencionadas, bem como a realização dos necessários concursos públicos para investigador, delegado, escrivão, médico legista, perito e quadro administrativo, sem, contudo, obter a necessária resposta rápida do Estado.

O advento deste novo empréstimo, mais de R$3 bilhões, sendo parte deles justificados para empregos na segurança pública e forças policiais, reforça a tese e ação do SINDPOL/MG e demais entidades sindicais do estado, da necessidade premente de investimento no aparelhamento da estrutura de segurança concomitantemente com investimentos nos operadores ampliando o quadro de efetivo, realizando concursos públicos e promovendo valorização salarial para prevenir e estancar a evasão de servidores da profissão. Neste sentido, o SINDPOL/MG já antecipa seu posicionamento favorável à concessão do referido empréstimo, porém, sua execução deve ser carimbada para impedir desvios de finalidade, não obstante o reconhecimento de que segurança pública se faz e se trabalha de forma sistêmica e vaso comunicante, com a polaridade muito tênue com a educação, saúde, moradia, infraestrutura e qualidade de vida. Somente assim, poderemos governo, sociedade e instituições, combater e enfrentar a onda crescente de criminalidade violenta que assola o dia a dia dos cidadãos mineiros. Esta informação sobre a conjuntura em que se contrai este empréstimo também foi motivo de debate da reunião da Coordenação Intersindical realizada ontem (23) na sede do Sindpúblicos e em reunião do movimento sindical, realizada no expediente da tarde na ALMG com a representação da bancada de oposição.

 

Veja a cobertura da imprensa acerca da matéria

X