Jovem é amarrado em poste após tentativa de furto no Santo Antônio.

Jovem é amarrado em poste após tentativa de furto no Santo Antônio

Um menor acusado de furto foi amarrado em um poste no bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, no início da tarde desta quarta-feira.

Na internet, a imagem do rapaz preso estava associada à uma legenda que afirmava que o garoto, não identificado, teria tentado furtar um veículo estacionado na esquina das ruas Marquês de Paranguá e João de Freitas, em uma região que seria constante alvo de ações de bandidos. 

Conforme a 124ª Companhia do 22º Batalhão da Polícia Militar (PM), que responde pela região, a situação realmente aconteceu. Uma viatura chegou a ser deslocada para o local, porém, quando chegou o garoto já não estava mais no poste. Como a vítima da tentativa de roubo também já havia ido embora, nenhum registro foi feito sobre o caso.

Segundo as informações de uma advogada que trabalha na região, ele foi amarrado pelo dono do veículo que sofreu a tentativa de furto. "Quando eu cheguei, ele já estava amarrado com lacres plásticos, cheio de gente na rua. Tinha uma senhora ligando insistentemente para a polícia", detalhou a jovem que preferiu não se identificar. 

Segundo ela, testemunhas disseram que o garoto e um companheiro estavam quebrando vidros dos automóveis, quando um deles foi segurado por uma vítima e o outro fugiu. Após mais de meia hora com o garoto amarrado, e aguardando a chegada da polícia, os moradores foram surpreendidos por um motociclista que surgiu para resgatá-lo. "Ele parou no meio da rua, veio com cara de mal e as pessoas até se afastaram. Ele desceu da moto, soltou o garoto e eles foram embora. Acho que na hora, no susto, ninguém anotou a placa", disse a testemunha. 

Conforme a advogada, o garoto não falou nada enquanto esteve preso. "Trabalho lá perto, e a situação no bairro é absurda, os roubos são constantes. Pouco depois disso, quando cheguei na empresa, descobri que nosso motoboy mesmo tinha acabado de ser assaltado. Levaram R$ 4 mil, o celular e o relógio dele. Eram três pessoas", lamentou. 

Justiça com as próprias mãos é crime

Embora muitos apoiem ações como essa ocorrida nesta quarta em Belo Horizonte e também no Rio de Janeiro, fazer justiça com as próprias mãos é considerado um crime. 

Conforme o artigo 345 do Código Penal "fazer justiça pelas próprias mãos, para satisfazer pretensão, embora legítima, salvo quando a lei o permite: Pena – detenção, de quinze dias a um mês, ou multa, além da pena correspondente à violência", diz o artigo. Entretanto, se não há emprego de violência, somente se procede mediante queixa.

Fonte: O Tempo

X