Execução de Policial Civil em Malacacheta

 Execução de Policial Civil em Malacacheta: Três policiais militares foram indiciados pelo homicídio do investigador Vandir Rodrigues Ferreira

Após muita cobrança e mobilização do Sindpol/MG, da categoria e da sociedade local, finalmente os três policiais militares envolvidos no assassinato do policial civil Vandir Rodrigues Ferreira foram indiciados por homicídio doloso, duplamente qualificado, os militares também foram enquadrados por fraude processual, por alterarem o local do crime, além de falsidade ideológica, por inserirem informações falsas no auto de resistência e nos Registros de Evento de Defesa Social (REDS).

A direção do Sindpol/MG mesmo indignada com o ato covarde e brutal que ceifou a vida de nosso colega e filiado, parabeniza o delegado regional dr. Vinícius Sampaio e o delegado que presidiu o inquérito dr. João Augusto Ferraz de Araújo, e toda a sua equipe pela postura corajosa de retomar a condução dos trabalhos investigativos, e com autonomia cumpriu o papel de Polícia Judiciária naquela região, concluindo os trabalhos com o indiciamento por homicídio duplamente qualificado dos executores do investigador Vandir.  Esperamos agora que no curso da tramitação dessa ação penal o Poder Judiciário e o Ministério Público também cumpram o seu papel de reestabelecer a confiança da população local nos órgãos que promovem Justiça e Segurança Pública.

Confira abaixo a repercussão da imprensa em relação ao caso

Três militares são indiciados por assassinato de policial civil em Malacacheta

Três policiais militares foram indiciados pela Polícia Civil, em um inquérito concluído na última terça-feira (18/08) sobre a morte do investigador Vandir Rodrigues Ferreira, de 42 anos, ocorrida em 24 de setembro do ano passado, em Malacacheta, no Vale do Mucuri.

A investigação apontou que os militares tinham comparecido ao local para atender a uma ocorrência de perturbação do sossego, feita contra a vítima por um terceiro militar, também indiciado.

O investigador da Polícia Civil foi atingido por seis disparos. O inquérito policial, presidido pelo delegado João Augusto Ferraz de Araújo, apontou que o autor dos tiros teria sido o próprio sargento que acionou a PM, alegando estar sendo incomodado pelo volume do som que vinha do carro de Vandir.

Uma das testemunhas ouvidas durante as investigações, no entanto, informou que o som alto que deu origem ao impasse vinha de sua casa e não do carro de Vandir. Na ocasião em que os policiais militares chegaram ao local denunciado, o investigador estava dentro de casa, sem camisa e pronto para dormir, com o carro estacionado em frente ao imóvel e com o som desligado. Na abordagem, no entanto, houve tumulto e, na sequência, os tiros.

Além do indiciamento por homicídio doloso, duplamente qualificado, os militares foram enquadrados por fraude processual, por alterarem o local do crime, além de falsidade ideológica, por inserir informações falsas no auto de resistência e nos Registros de Evento de Defesa Social (REDS).

Fonte: Hoje em Dia

Confira as matérias, publicadas pelo Sindpol/MG, na luta por Justiça no caso Vandir:

24/07/2015 – Novas notícias no caso do assassinato do investigador Vandir Rodrigues Ferreira

23/07/2015 – Sindpol no Brasil Urgente Minas

16/07/2015 – Novas notícias no caso de execução de policial civil no 15º departamento de Teófilo Otoni

26/06/2015 – Execução de policial civil

25/09/2014 – Nota de pesar: aconteceu novamente

X