Sindpol/MG repudia crítica feita por deputado do partido Novo

22 de setembro de 2020

O Sindpol/MG vem a público repudiar a infeliz crítica do deputado estadual, Guilherme da Cunha (Novo), que em suas redes sociais chamou a ação realizada pela Polícia Civil, juntamente com o Procon-MG, de “lixo de operação”, onde os policias buscaram apurar se a alta nos preços de produtos da cesta básica – como arroz e óleo – pode ser classificada como crime à economia popular e infração administrativa.

É importante ressaltar que o legislativo constituinte estabeleceu na Constituição Federal de 1988, em seu artigo 144 § 4º, que às polícias civis, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais. Sendo assim, a Polícia Civil está cumprindo seu papel independente de interferências políticas, como sugere Guilherme da Cunha.

Também queremos esclarecer ao deputado e à população, que a Polícia Civil é um órgão do estado de Minas Gerais, pertencente aos cidadãos mineiros, e não ao governo, como ele citou em suas redes sociais.

Mesmo com um déficit de 50% no quadro de efetivos, falta de equipamentos tecnológicos, de viaturas, de investimentos em modernização, de infraestrutura das delegacias, onde muitas das vezes os policiais trabalham em locais insalubres, a Polícia Civil continua desempenhando seu papel no combate aos “crimes de verdade”, como roubos e furtos de cargas e de estabelecimentos comerciais, sem contar que o investimento na PCMG é inferior a sexta parte destinada à Polícia Militar e ao Sistema Prisional.

Outro fator que causou estranheza é que Guilherme da Cunha sugeriu ao governador que ele zere o ICMS dos itens da cesta básica, sendo que recentemente, durante a votação da PEC 55/2020 (Reforma da Previdência), que prejudicou os policiais civis, Romeu Zema insistentemente disse que o estado estava quebrado, no ponto de vista do Sindpol/MG tal sugestão é no mínimo incoerente.

Diante dos fatos, o Sindicatos dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais – Sindpol/MG, apoia as ações realizadas pelos policiais civis no combate a todo tipo de crimes, e não somente a crimes violentos.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria.

O Sindpol/MG, juntamente com as demais entidades de classe, participaram na manhã desta terça-feira (22/09), de uma Audiência Pública, onde foi discutido o déficit de efetivos da Segurança Pública, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Durante a audiência os representantes sindicais apresentaram ao deputados os percentuais do déficit de efetivos. “Além do aumento no quadro de efetivos, a Polícia Civil também precisa de melhores condições para prestar um bom trabalho para a sociedade mineira, como boa infraestrutura, equipamentos tecnológicos, dentre outras coisas”, disse o vice presidente do Sindpol/MG Marcelo Armstrong, que estava representando o presidente José Maria de Paula “Cachimbinho”.

Os deputados lamentaram a ausência dos Chefes da Polícia Civil e da Polícia Militar, e principalmente do secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Mário Lúcio Alves de Araújo.  Eles também ressaltaram a importância do aumento de efetivo na Segurança Pública, e que com frequência recebem demandas para a nomeação de excedentes, bem como a aprovação para novos concursos.

Ao final os parlamentares aprovaram requerimentos onde cobram informações dos comandos das corporações e também da Secretaria de Justiça sobre qual seria, exatamente, o déficit desses efetivos, em setembro de 2020, uma vez que os dados apresentados no último Assembleia Fiscaliza já estariam defasados. Também marcaram uma nova Audiência, para a próxima terça-feira (29/09), às 9h, na ALMG.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria.

Visando mudanças efetivas na estrutura da Polícia Civil e acreditando na necessidade de se promover inovações para melhores condições de trabalho e melhoria na prestação de serviço à sociedade, o Sindpol/MG, juntamente com as demais entidades da base da PCMG, elaboraram um artigo. “Estagnação ou Modernização: o medo da mudança pode levar à falência definitiva da Polícia Civil”.

Veja o artigo completo.

O Sindpol/MG convoca todos os policiais civis, filiados e demais servidores da segurança pública, para a manifestação desta sexta-feira (04/09), às 9h, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Porém devido ao Estado de Minas Gerais ter ajuizado uma tutela antecipada em caráter antecedente, orientamos que todos sigam as determinações judiciais para que a categoria não seja penalizada.

Vejam as orientações:

a) não sejam obstruídas quaisquer vias públicas durante a tramitação dos projetos da Reforma da Previdência Estadual, permitindo o tráfego de automóveis, ônibus e demais meios de transporte, em uma das faixas, nos dois sentidos, nas vias de acesso e no entorno da Assembleia Legislativa do Estado;

b) não sejam paralisados os serviços de segurança pública;

c) não seja impedida a prestação dos demais serviços públicos;

d) não sejam invadidos prédios públicos ou privados, notadamente a Assembleia Legislativa de Minas Gerais e a Cidade Administrativa de Minas Gerais, durante todo o período do processo legislativo em questão;

e) seja proibido o porte e a utilização de qualquer espécie de armas pelos manifestantes.

Veja também a tutela antecipada

O Sindpol/MG, juntamente com as demais entidades de classe da Polícia Civil, Polícia Penal, Agentes Socioeducativos e Servidores Administrativos, além de outras categorias do Executivo Estadual, manifestaram na manhã desta terça-feira (01/09), em frente à Assembleia Legislativa, contra a PEC 55/20 – Reforma da Previdência.

Os representantes sindicais e demais servidores da segurança pública acompanharam a votação em primeiro turno da PEC 55/20 do lado de fora da Assembleia, já que foram impedidos de entrar na casa Legislativa.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2020, foi aprovada em primeiro turno, sendo que 51 deputados votaram favoráveis e 19 contrários. Agora a PEC 55/2020 retorna à Comissão Especial para novo parecer, antes de retornar ao plenário. A previsão é que a votação final em segundo turno aconteça na sexta-feira (04/09).

“Infelizmente o resultado não foi satisfatório, porém precisamos continuar mobilizados e encher a Assembleia na sexta-feira. Temos que pressionar ainda mais os deputados para votarem contra esse pacote de maldades do governador”, disse o presidente do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria.

No dia 26 de agosto (quarta-feira), das 08h às 18h, será mais um dia de luta das Forças de Segurança civis de Minas Gerais, pela garantia de seus direitos. Será a data de entrega do relatório da Reforma da Previdência à Comissão Especial. Precisamos continuar mostrando força e união.

O que funcionará:

* Delegacias de plantão: um flagrante por vez

*IML: somente emergências

*Instituto de criminalística: locais de crimes violentos

O que não funcionará:

*Detran e agendamentos

*Delegacias de todo os Estado

*Cancelar operações

*Unidades prisionais e centros socioeducativos e de internação provisória NÃO receberão presos e adolescentes.

Juntos somos mais fortes!

Faça download das orientações!

 

Os deputados federais irão se reunir em sessão, no Congresso Nacional, a partir das 15h, desta quinta-feira (20/08), para analisar os vetos presidenciais derrubados pelo Senado Federal na sessão da última quarta-feira (19/08).

O Sindpol/MG solicita que todos os policiais civis se mobilizem nas redes sociais pedindo aos parlamentares federais, que derrubem o veto 17, item 2, do PLP 39, que congela o salário e as carreiras dos policiais civis.

Sindpol/MG na luta pela categoria

O Sindpol/MG e os representantes das demais entidades de classe da Polícia Civil, se reuniram, via web, na tarde desta quarta-feira (19), com os representantes do Cema e o Conselho Superior da instituição, para apresentação do trabalho pela modernização administrativa da PCMG.

Os pontos tratados para a modernização foram abordados de forma superficial às entidades. Os representantes de classe foram unânimes em dizer que o momento não era oportuno, visto que ainda estão trabalhando para garantir os direitos dos policiais civis com a Reforma da Previdência.

Os dirigentes também alegaram que não poderiam falar sobre o assunto já que não tinham conhecimento do teor. O coordenador adjunto do CEMA, Chefe Adjunto da Polícia, delegado Joaquim Francisco Neto, informou que enviaria às entidades até o final da próxima semana, o estudo feito pela comissão, para que as entidades discutam com sua base sobre cada assunto específico, uma vez que a finalidade é tornar a instituição mais eficiente.

“O que for benéfico para a instituição e para a sociedade, o Sindpol/MG não medirá esforços para ajudar a implantar, porém tudo terá que ser apresentado e discutido com a categoria, antes que qualquer decisão seja tomada”, disse o assessor do Sindpol/MG Wemerson Oliveira, que representou o presidente José Maria de Paula “Cachimbinho”.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria

É com muito pesar que o Sindpol/MG informa o falecimento do investigador de polícia e filiado Sandro Antônio Leão Martins.

Não temos informações sobre o velório e sepultamento.

O Sindpol/MG se solidariza com os familiares e amigos do policial civil Sandro Antônio Leão Martins.

É com muito pesar que o Sindpol/MG informa o falecimento do investigador de polícia e filiado Vitor Queiroz Mattos.

Não temos informações sobre o velório e sepultamento.

O Sindpol/MG se solidariza com os familiares e amigos do policial civil Vitor Queiroz Mattos.

O Sindpol/MG, juntamente com as demais entidades de classe da Polícia Civil, Polícia Penal, Agentes Socioeducativos e Técnico Administrativo se reuniram na manhã desta quarta-feira (19/08), na sede do sindicato, para traçarem as próximas estratégias contra a Reforma Previdência.

Durante a reunião os dirigentes sindicais falaram sobre os pontos positivos e negativos das mobilizações anteriores, e reforçaram que todos devem continuar mobilizados contra o pacote de maldades do governador.

Ficou definido que no dia 26/08, próxima quarta-feira, haverá o segundo “dia de luta”, antes da Grande Manifestação que está prevista para o dia da votação do texto, na Assembleia Legislativa, sendo que a data será divulgada assim que for definida.

Neste “dia de luta” as atividades policiais estarão suspensas, e os representantes das entidades irão percorrer as delegacias da capital e região metropolitana.

“Vamos continuar pressionando e mostrar ao governador que unidos somos mais fortes e que não vamos desistir, precisamos continuar mobilizados para garantirmos os nossos direitos”, disse José Maria de Paula “Cachimbinho”, presidente do Sindpol/MG.

Sindpol/MG na luta contra a Reforma da Previdência

O Sindpol/MG, juntamente com as demais entidades de classe da Polícia Civil, Polícia Penal, Agentes Socioeducativos e Técnico Administrativo, promoveram nesta quinta-feira (13/08), um “dia de luta”, contra a Reforma da Previdência, onde as atividades policiais estarão suspensas em todo o Estado, exceto nas Deplan’s, que atenderão um flagrante por vez, e o IML. A criminalística somente funcionará para casos de morte violenta.

Durante todo o dia os representantes sindicais percorreram as delegacias da capital e região metropolitana, além do DETRAN, DRV, CEFLANS, DEPATRI e Instituto de Identificação, para orientar os policiais sobre a importância de estarem unidos contra o pacote de maldades do governador Romeu Zema.

Houve também doação de sangue, para os policiais habilitados à doação, e aqueles que não puderam doar fizeram outras ações solidárias.

“Não queremos nada além da garantia dos nossos direitos, batalhamos durante anos para conquista-los, e não será agora que abriremos mão deles, queremos que o governador entenda que não pode diferenciar as forças de segurança, todos nós corremos risco de perder a vida para defender a sociedade”, disse o presidente do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”.

Mobilização no interior de Minas

Cidades do interior de Minas, como Juiz de Fora, Montes Claros, Pouso Alegre, Governador Valadares, Viçosa, Paracutu, Teófilo Otoni, Ubá, Passos, Pedra Azul, Diamantina, Patos de Minas, dentre outras, também aderiram ao “dia de luta” contra a Reforma da Previdência.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria.

Na luta contra a Reforma da Previdência o Sindpol/MG, juntamente com as demais entidades de classe da Polícia Civil, da Polícia Penal, Agentes Socioeducativos, e cerca de 5 mil servidores da segurança pública, manifestaram na manhã desta quinta-feira (06/08), em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Os servidores reivindicam do governador um tratamento igualitário, além da garantia de todos os direitos que foram conquistados ao longo dos anos.

Os representantes sindicais entregaram ao relator Cássio Soares, um documento com as emendas propostas para as policias civil e penal, agentes socioeducativo e técnico administrativo. Após a entrega do documento todos os operadores da segurança pública seguiram em passeata até a Praça Sete, onde deliberaram sobre os próximos atos e encerraram o movimento.

Ficou definido que no dia 13/08, próxima quinta-feira, haverá um dia de luta, sendo que neste dia todas as atividades policiais estarão suspensas no Estado.

“Não podemos parar agora, o ato de hoje serviu para mostrarmos ao governador que estamos mais unidos do que nunca e que não vamos descansar enquanto não garantirmos os nossos direitos, vamos continuar mobilizados e na luta”, disse o presidente do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria.

O presidente do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho” e a presidente do Sindepominas, Maria de Lurdes Camilli, se reuniram na manhã desta quarta-feira (05/08), com o Chefe da Polícia Civil, Wagner Pinto de Souza, na Cidade Administrativa, para entregarem um documento com as propostas para a reforma da previdência.

Os representantes sindicais apresentaram as propostas ao Chefe da PCMG e solicitaram que ele encaminhe as mesmas ao governador Romeu Zema. “Não queremos tratamento diferenciado, queremos direitos iguais, pois corremos risco de vida igual a Polícia Militar”, disse José Maria.

Wagner Pinto disse que irá se reunir com o governador para apresentar o documento. O mesmo também foi entregue ao secretário de planejamento Otto Levy.

Sindpol/MG na luta pelos direitos da categoria.

O Governo de Minas divulgou na manhã de hoje (31/07), a data do pagamento dos servidores da Segurança Pública e da Saúde.

De acordo com o governador Romeu Zema, o pagamento dos servidores será feito no dia 08 de agosto (sábado), antes do Dia dos Pais, comemorado no domingo, dia 09.

 

X