Sindpol/MG e entidades sindicais do estado se reúnem com senador Antônio Anastasia

1 de novembro de 2019

O diretor de mobilização e formação sindical do Sindpol/MG, Adilson Bispo, representando o presidente da entidade, José Maria de Paula “Cachimbinho”, se reuniu, na manhã desta sexta-feira (1°), com o senador Antônio Anastasia, no escritório político do parlamentar em Belo Horizonte/MG. Outras entidades sindicais que representam várias categorias no estado participaram da reunião.

A pauta principal girou em torno da discussão política sindical, que ganha corpo no Congresso Nacional. O senador demonstrou favorável às reivindicações dos representantes das categorias. Importante ressaltar que o Sindpol/MG era o único representante do serviço público presente.

Ao final, Bispo expôs ao senador a preocupação da Polícia Civil com referência a PEC n° 133, chamada paralela, e de uma nova subemenda, contendo o artigo 40A, que prejudica ainda mais os policiais civis dos estados, trazendo insegurança jurídica num ponto essencial, que é a Reforma da Previdência. Anastasia se mostrou positivo em apoio ao que foi abordado.

O Sindpol/MG convoca todos os seus filiados e demais policiais civis para ocuparem as galerias da Assembleia Legislativa de Minas Gerais – ALMG, na próxima terça-feira (05/11), a partir das 14h, para pressionarem os parlamentares a votarem o Projeto de Lei 1.205/2019, que trata da antecipação dos recebíveis da CODEMIG para que o governador Romeu Zema possa pagar o 13º salário integral, em dezembro, além de poder voltar o pagamento dos servidores públicos para o quinto dia útil.

É o Sindpol/MG lutando para garantir os diretos dos seus filiados e demais operadores da Segurança Pública.

 

O Sindpol/MG, atento e preocupado à saúde de seu filiado, oferece às suas filiadas, bem como às filhas e às esposas de seus filiados, em parceria com os centros de diagnóstico UltraCenter e CEDIVE, exame de mamografia digital pelo valor de 50 reais, em razão do outubro rosa, na luta contra o câncer de mama. Da mesma forma, outros exames já estão sendo ofertados somente para os filiados do Sindpol/MG, devido à campanha de combate ao câncer de próstata, no novembro azul.

Vale ressaltar que mesmo com o término da campanha contra o câncer de mama, no mês de outubro, o valor permanece até novembro somente para as filiadas e dependentes do Sindpol/MG.

FILIE-SE ao Sindpol/MG! Junte-se ao maior sindicato da Polícia Civil do Brasil!

Garanta seus direitos e usufrua de seus benefícios!

Outras informações no telefone 2139-9898 com Lilian no setor de convênios ou através do e-mail [email protected]

O Sindpol/MG, sindicato que representa mais de cinco mil policiais civis, tradicional entidade filiada à COBRAPOL, repudia quaisquer informações inverídicas ventiladas por outras entidades de classe da Polícia Civil de Minas, com a finalidade de tão somente atacar o maior sindicato de Policiais Civis do Brasil, sem o intuito de agregar e se unir em prol da categoria para lutas maiores, como a Reforma da Previdência.

Neste contexto, o Sindpol/MG informa todos os filiados e toda categoria, que caminha junto à Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis – COBRAPOL, por muitos anos, tendo, inclusive, filiados do sindicato na diretoria da Confederação, bem como também agora fortalece a Federação Interestadual de Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste – FEIPOL/SE, fazendo parte da diretoria, com a filiação na entidade.

Ressalta, por fim, que o Sindpol/MG está alinhado com a COBRAPOL, com a FEIPOL e com todas as entidades que representam a Polícia Civil no Brasil, na busca da garantia dos direitos da categoria. Portanto, outra informação que macula a imagem do sindicato, lançada de forma tortuosa em meios de comunicação ou redes sociais, entende-se pelo objetivo de desestruturar a entidade, em que está focada na luta pela categoria, pela gestão atual.

A hora agora é de união! Não há espaço para brigas e desacertos dentro da categoria, pois o inimigo encontra-se fora! O Sindpol/MG convoca todos os Policiais Civis para a luta com união!

Policiais Civis, lembrem-se que uma casa dividida não prospera!

A DIRETORIA

O Sindpol/MG informa que devido ao do Dia do Servidor Público,  não haverá expediente, na sede e subsedes do SindpolMG, no dia 28  de outubro (segunda-feira), retornando as suas atividades na terça-feira, 29/10.

O SINDPOL/MG parabeniza todos os servidores públicos, em especial, os Policiais Civis de Minas Gerais!

Precisamos de valorização, pois o atual governo quer nos retirar direitos, inclusive consagrados na Constituição. Por isso, devemos lutar! E estamos lutando e pedimos o apoio de todos vocês, policiais civis, pois uma casa dividida não prospera!

 

“A mais honrosa das ocupações é servir ao público e ser útil ao maior número de pessoas.”

Michel de Montaigne

Sindpol/MG na TV

Programa “Segurança e Cidadania” na TV Câmara

No programa “Segurança e Cidadania” deste sábado (20/02), teremos a posse dos novos investigadores na Acadepol, a repercussão do caso de agressão a médica legista em Montes Claros e a denúncia de um policial civil aposentado a respeito de abusos de policias militares em abordagem.

O programa é exibido todos os sábados às 10h, na TV Câmara, canal 61.4. Não perca!

Sindpol/MG na TV

Programa “Segurança e Cidadania” na TV Câmara

No programa “Segurança e Cidadania” deste sábado (13/02), será exibida a homenagem, na Guarda Municipal de Contagem (GMC), ao deputado federal Laudívio Carvalho e ao diretor jurídico do Sindiscon (Sindicato dos Servidores Públicos de Contagem) Ronaldo Maciel, além de outros representantes da GMC.

A advogada da Fesempre Dóris Oliveira explica o que é o assédio sexual, diferenciado de um ato normal de amizade e hospitalidade, e o advogado do Sindpol/MG Ismael Fernandes fala da vitória judicial do sindicato sobre a obtenção de medicamentos de alto custo para uma servidora, os trâmites para separação e conquista do adicional noturno.

A diretora seccional do Sindpol/MG em Divinópolis também é uma de nossas entrevistadas.

O programa é exibido todos os sábados às 10h, na TV Câmara, canal 61.4. Não perca!

Polícia Civil esclarece crime de morador de rua agredido no centro de BH

Homicídio aconteceu no dia 15 de janeiro 

A Polícia Civil apresentou nessa sexta-feira (12/02), no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Cristiano Barbosa dos Reis, o “Magrão”, de 35 anos, suspeito pelo assassinato do morador de rua José Januário da Silva, o “Índio”, de 57 anos.  O idoso foi assassinado, no dia 15 de janeiro, com vários chutes na cabeça enquanto dormia.

Segundo a Polícia Civil Magrão matou o Índio” porque ele atrapalhava o tráfico de drogas na região Central de Belo Horizonte. A delegada responsável pelas investigações, Dra. Ingrid Estevam, disse que Magrão é um traficante temido na região e costumava a se hospedar em hotéis e pensões do Centro da capital, ele passava drogas para moradores de rua, e depois recolhia o dinheiro nos pontos do tráfico.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, Índio era usuário de drogas e alcoólatra, e quando estava sob efeito de entorpecentes ficava inconveniente, atrapalhando a venda de drogas, o que causou a ira de Magrão, que reclamou por diversas vezes, chegando a ameaçar o morador de rua.

A equipe de investigação chegou até o autor do crime após circularem pela região central e conversarem com várias testemunhas que apontavam Magrão como o autor do homicídio, além de analisarem por três dias, mais de 50 horas de vídeos de câmeras de segurança do Centro de BH.  Por meio dessas imagens os investigadores conseguiram ver Cristiano circulando entre os moradores de rua antes da morte de José Januário, inclusive levantando pedaços de papelão para ver o rosto de quem dormia no chão, mostrando que estava à procura de alguém.

Durante a apresentação do criminoso a imprensa o suspeito negou o homicídio, em um primeiro momento disse que não conhecia a vítima, mas, após várias perguntas dos jornalistas, afirmou que conhecia Índio desde a infância, caindo em contradição.

Cristiano Barbosa dos Reis tem passagem pela polícia por furto, roubo, falsidade ideológica, receptação e também é investigado por um homicídio cometido no dia 31 de dezembro do ano passado, assim como por uma tentativa de homicídio no dia 9 de janeiro deste ano, ambos no bairro Carlos Prates.

O Sindpol/MG parabeniza o trabalho de toda a equipe da Polícia Civil que participaram das investigações e colaboraram com a prisão de mais um criminoso.

 

Homem linchado no Centro de BH é identificado

Segundo uma testemunha, jovem de 21 anos era acusado pelos agressores de roubar R$10 de um deles, mas a vítima negava o crime

Publicada no Portal Uai em 11/02/2016, por Cristiane Silva e Pedro Ferreira

A Polícia Civil identificou o homem que morreu vítima de linchamento na madrugada de quarta-feira na Rua Carijós, Centro de Belo Horizonte. De acordo com a assessoria de imprensa do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), ele se chama Yuri Eustáquio Alves Domingos, de 21 anos. O corpo foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) na manhã desta quinta, e levado para o Cemitério da Saudade, na Região Leste da capital, onde será sepultado no fim da tarde.

A delegada Ingrid Estevam é responsável pelas investigações e instaurou um inquérito. Por meio da assessoria de imprensa, ela informou que ainda vai ouvir Francisco Ricardo Sabino Neto, de 30 anos, até o momento o único preso pelo homicídio.

O crime aconteceu às 4h14, em frente ao número 275. Yuri foi linchado por cinco homens que pularam sobre o seu corpo diversas vezes, até causar traumatismo craniano e matá-lo. A vítima implorou para não ser morta, segundo relatos de testemunhas à PM. Francisco Ricardo foi preso quando tentava escapar. Os outros quatro agressores conseguiram fugir em direção à Praça da Estação, onde havia uma grande concentração de foliões.

A Polícia Militar foi chamada para separar uma briga generalizada. Ao chegar ao local indicado, não encontrou os envolvidos. Os militares seguiram na direção onde testemunhas disseram que vários rapazes correram atrás de um outro. Francisco Ricardo foi preso com uma garrafa plástica contendo uma substância semelhante a “loló”, entorpecente preparado clandestinamente.

Ao retornarem ao local da briga, os militares encontraram uma grande aglomeração de pessoas em volta da vítima, que estava inconsciente. O Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) foi acionado. A equipe médica tentou reanimar o rapaz por 40 minutos, mas ele não resistiu.

Testemunhas relataram as cenas da violência à PM. Um homem negro, que usava camisa do Barcelona vermelha e bermuda bege, teria dado uma rasteira na vítima, derrubando-a. Os cinco agressores começaram a pular sobre o corpo do rapaz, que implorava para não ser agredido. A vítima teria conseguido se levantar e correu, mas foi novamente perseguido, derrubado pela segunda vez pelo homem que usava camisa de futebol, e as agressões continuaram. “Pularam repetidas vezes, sendo a cabeça da vítima esmagada no chão”, segundo consta nos relatos de testemunhas.

Ainda de acordo com quem presenciou o crime, os cinco agressores pegaram todos os pertences da vítima e saíram andando calmamente, como se nada tivesse acontecido. Outra testemunha relatou à PM que o homem atacado era acusado pelos agressores de roubar R$ 10 de um deles, mas ele negava o crime.

Os agressores já haviam parado de pisotear a vítima quando o homem com camisa do Barcelona retornou e continuou a pular em cima do rapaz, que já estava desacordado.

Fonte: Uai

Executores dizem que foram contratados para matar prefeito

Moisés da Silva Gumieri, de 36 anos, do PCdoB, foi executado em um campo de futebol nessa segunda-feira (9); mandante ainda está foragido e ainda não teve a identidade divulgada
Publicado por CAMILA KIFER e GUSTAVO LAMEIRA, em O TEMPO
Três jovens suspeitos de executar o prefeito de Chiador Moisés da Silva Gumieri, de 36 anos, nessa segunda-feira (9), foram presos nesta quarta (10). Após serem encontrados escondidos dentro de uma fazenda do município, os suspeitos afirmaram que foram contratados para assassinar o chefe do executivo e receberam R$ 4 mil pelo crime. A motivação da execução ainda é um mistério.

Agora, a polícia trabalha para localizar o mandante do crime, que já foi identificado, mas não teve o nome revelado para não atrapalhar as investigações. A prisão dos suspeitos foi possível após uma força-tarefa, que envolveu as Polícias Militar e Civil de Minas, e a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

Dois jovens de 18 e 19 anos foram presos e apresentados em Juiz de Fora, já o terceiro criminoso, de 24 anos, foi preso em Três Rios.  De acordo com a Polícia Civil, ele é o proprietário da motocicleta utilizada pelos executores de 18 e 19 anos na fuga do crime. A dupla, de acordo com a Polícia Civil foi encontrada em uma fazenda em Chiador.

“As investigações se iniciaram quando fiz o pedido de dados do chassi da moto usada no crime. Mesmo apesar de estar raspado, após conferência no sistema, conseguimos identificar o nome do proprietário do veículo e o endereço dele. Então, ele foi preso e informou que havia emprestado a moto para os dois autores”, disse o delegado Saed Divan, chefe da Delegacia Geral de Juiz de Fora, por meio da assessoria de imprensa.

A arma utilizada no crime e a motocicleta foram apreendidas. A dupla está sendo ouvida, nesta noite, na 1ª Delegacia Regional de Juiz de Fora e será autuada em flagrante por homicídio qualificado. Já o dono da motocicleta também está sendo ouvido, ele disse que não sabia que a moto seria usada para o crime.

Depoimento

“Após serem encontrados, os suspeitos informaram ter sido contratados para executar Gumieri. O mandante trouxe os dois para a cidade, mostrou a casa do prefeito e o mercado, onde ele também trabalhava”, explicou o sargento Luiz Claudio Ramos, lotado na  33ª Companhia do 27º Batalhão da Polícia Militar (PM).

Aos militares, os suspeitos não quiseram informar o valor recebido pela execução. No entanto, informaram a identificação do mandante. A polícia procura por ele, que já é considerado foragido.

“Eles disseram que foram até a casa da vítima e bateram no portão procurando por ela. A cunhada do prefeito explicou que ele não estava em casa e que tinha ido até um campo de futebol, que fica do outro lado da rua”, explicou o sargento.

A dupla foi até lá e, enquanto um dos suspeitos permaneceu na motocicleta, o outro procurou pelo prefeito. “Gumieri foi chamado. Como ele é político, deixou o campo e foi atender quem estava procurando por ele. Depois de atirar várias vezes, os suspeitos fugiram”, disse o policial, relembrando a fala da dupla durante a prisão.

O prefeito foi socorrido e levado até um hospital de Três Rios – sua cidade natal -, no Estado do Rio de Janeiro, que fica a 12 km de Chiador. Ele morreu durante o trajeto.

Fuga

Depois do crime, os dois suspeito fugiram na motocicleta, mas se envolveram em um acidente. Para tentar despistar a polícia, a dupla se escondeu em uma fazenda. “Como já era noite, eles se esconderam no pátio da fazenda Baronesa. A intenção era tentar fugir pela manhã, mas devem ter ficado perdidos”, afirmou o sargento Ramos.

A dupla, que ainda não teve a identidade e a idade revelada, é moradora da cidade de Três Rios,  município localizado na região Centro-Sul do Estado do Rio de Janeiro. “Eles já são bem conhecidos na cidade por envolvimento com o tráfico de drogas”, explicou o militar.

Os suspeitos foram levados para a Delegacia de Juiz de Fora, também na Zona da Mata, onde serão ouvidos.

Executivo

Com a morte de Moisés da Silva Gumieri (PCdoB), o vice-prefeito, Maurício Barbosa Monteiro, de 34 anos, filiado ao Partido Republicano (PR), assumirá o cargo de chefe do executivo da cidade, que tem 2.785 habitantes.

Os moradores do município estão em choque com a notícia da morte do prefeito. “A cidade está em luto. Ninguém esperava essa covardia. A mãe dele, então, está perturbada com esse crime”, contou o aposentado Antônio Sales, que é vizinho da família de Gumieri.

O político era o filho mais velho dos cinco irmão, sendo três homens e duas mulheres. “Ele vinha almoçar todos os dias com a mãe dele. Ele nunca teve nenhum desentendimento com ninguém. Era uma pessoa muito boa. Filho enterrar pai ainda vai, mas pai enterrar filho é uma tristeza danada”, desabafou o aposentado.

Gumieri, que iria fazer 37 anos no dia 13 de março, deixa a mulher e o filho de 9 anos, que presenciou o crime.
Fonte: O Tempo

Reconhecimento e gratidão

Policial Civil agradece o Sindpol/MG por sua conquista, no âmbito judicial, na retificação de suas progressões

A filiada Vanessa Lourdes Gonçalves registrou o seu profundo agradecimento ao Sindpol/MG e ao departamento jurídico, pela destreza, dedicação, seriedade e profissionalismo que demonstraram ao longo de seu processo para retificação de suas progressões, conseguindo a vitória em busca de fazer garantir os direitos dela e de outros policiais civis.

A direção do Sindpol/MG está à disposição de seus filiados e agradece os elogios da filiada Vanessa Lourdes Gonçalves.

Sindpol/MG na TV

Programa “Segurança e Cidadania” na TV Câmara

No programa “Segurança e Cidadania” deste sábado (06/02), vamos conversar com o presidente do Sinffazfisco, Unadir Gonçalves, que sugere a reforma nas finanças do Governo Estadual; com o inspetor aposentado José Maria de Paula “Cachimbinho”, que revela detalhes da carreira, em entrevista exclusiva, e sugere mudanças na atuação da Polícia Civil. Vamos falar também de mais uma vitória do jurídico do sindicato, da reunião executiva do Sindpol/MG que define ações a favor da categoria para 2016; das conquistas junto ao Governo, após reunião com secretários de Estado e Chefia de Polícia; e o reconhecimento dos novos investigadores, que já estão procurando o Sindpol/MG para se filiarem.

O programa é exibido todos os sábados às 10h, na TV Câmara, canal 61.4. Não perca!

X