Sindpol/MG e comissão de excedentes do concurso de investigador se reúnem com o Governo

7 de julho de 2017

O Sindpol/MG participou ontem(6/7), da reunião, solicitada na última segunda-feira (3/7), com integrantes do Conselho Superior de Polícia; Seplag, na pessoa do assessor de Relações Sindicais, Carlos Calazans, e a comissão dos excedentes do concurso de investigador de polícia, edital 2014; para discutirem a questão da recomposição dos quadros de efetivo da PCMG, pauta antiga do sindicato com o Governo.

Abrindo a reunião, Calazans falou acerca do atendimento à pauta do Sindpol/MG, de fevereiro desse ano, que era o destravamento das promoções, progressões, trintenário, dentre outros. Do compromisso firmado do Governo em reverter o informativo 161 do TCE e de atender as demais pauta do Sindpol/MG, que têm sido cobrada desde o início do Governo Pimentel.

Após a fala do representante do Governo, o diretor da subsede do Sindpol/MG, Zona da Mata, Dr. Marcelo Armstrong, deixou claro o posicionamento do sindicato em relação a insatisfação com o Governo do Estado, que desde quando assumiu não cumpriu as principais demandas da categoria, que é a readequação salarial de investigador com perito criminal, a convocação dos excedentes do certame, edital 2014; além dos demais pontos de pauta entregue ao governador no início de 2015. O dirigente sindical falou sobre a greve da Polícia Civil, em 2016, justamente porque o sindicato, juntamente com a sua base, se sentiam desprestigiados pelo Governo Pimentel, e que a mesma foi judicializada, obrigando o seu encerramento, porém, sem atendimento das demandas. “Entendemos a situação orçamentária do Estado, problema enfrentado em todo o país, porém outras carreiras recebem mais atenção desse Governo, e sentimos que a Polícia Civil têm ficado no esquecimento. Queremos apenas que o governador Fernando Pimentel cumpra os seus compromissos de campanha com a PCMG”, afirmou Armstrong.

O assessor de Relações Sindicais do Governo ouviu com atenção os diretores do Sindpol/MG e explicou que muita coisa ainda não foi feita devido ao problema financeiro do Estado e o impedimento de ações devido a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), porque o Governo está no limite prudencial, mas que, na medida do possível, têm atendido às demandas da Polícia Civil e continuará atendendo. Ele afirmou também que no caso dos excedentes, ele achou que o Estado sairia do limite prudencial no mês de junho, o que não aconteceu, impossibilitando a convocação dos mesmos. Mas que, no fim do mês de agosto, agendará mais uma reunião, com a participação da comissão de excedentes, para avaliarem a possibilidade de convocar, não apenas o número proposto anteriormente, de 189, mas quem sabe um número maior.

Calazans explicou aos presentes que as nomeações que vêm acontecendo no Estado são de substituições, cargos de contratados, que estão sendo substituídos por concursados, que é o caso dos professores e agentes penitenciários.

O assessor da presidência, Adilson Bispo, reforçou a fala do diretor Zona da Mata, Dr. Marcelo Armstrong, e deixou claro que a base da Polícia Civil está completamente insatisfeita com o Governo, bem como o Sindpol/MG. “Queremos o atendimento às nossas demandas, assim como as demais carreiras têm recebido. Não aceitamos um tratamento diferenciado”, disse.

A comissão de excedentes do certame teve a oportunidade de esclarecer dúvidas, principalmente de como é feito o cálculo de aposentadorias, demissões e mortes, dessa forma compreenderam, de forma técnica, porque o cálculo deles não batem com o da Polícia Civil. Reforçaram a convocação de todos os excedentes e pediram maior comprometimento do Governo com a Polícia Civil.

Encerrando a reunião, a diretoria do Sindpol/MG reforçou a convocação dos 1339 excedentes e o atendimento às pautas do sindicato, como a equiparação de investigadores com peritos.

No fim do mês de agosto, esse mesmo grupo, se reunirá novamente com o Governo, para novas definições.

Reunião

O Sindpol/MG convoca todos os excedentes, para uma reunião, na próxima quarta-feira (12/7), às 9h30, na sede do sindicato. É importante a participação do maior número de pessoas. Nessa reunião será traçada novas estratégias.

X